Instagram Medprimus Facebook Medprimus YouTube Medprimus Telefone: (11) 3262.5564

Febre amarela: como ocorre a doença e quem deve vacinar!

A febre amarela é uma doença viral grave transmitida por vetores (mosquitos).

Existem as formas  silvestre e a urbana, sendo que a urbana não é identificada no Brasil desde 1942.

Silvestre

A silvestre é transmitida pelo mosquito Haemagogus, que habita a copa de árvores. O hospedeiro é o macaco, sendo ele o parâmetro de doença em determinada região.

Urbana

A forma urbana ocorre quando uma pessoa adquire a febre amarela através do Haemagogus e é picada pelo Aedes aegypti, iniciando o ciclo do vírus neste mosquito. Nesta forma o homem é o hospedeiro.

Leia mais sobre o Aedes aegypti: clique aqui!

Febre Amarela em São Paulo

Desde outubro de 2017 casos de macacos mortos em parques da zona norte de São Paulo deixaram a população apreensiva e com dúvidas de quem necessitaria realmente da vacinação.

Porém, desde o início desse mês, outras zonas da cidade tiveram casos de macacos infectados. Isso resultou em aumento do número de casos em humanos, com total de 21 mortes no estado no mês de janeiro.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de incluir todo o Estado de São Paulo como área de de risco para febre amarela. E, portanto, todos que venham ao Estado ou que morem nele devem ser vacinados.

Vacina

Vacina contra a febre amarela é eficaz e confere proteção em torno de 95 % dos vacinados. Ela é feita com vírus vivos atenuados e podem ocorrer efeitos adversos  entre o quinto e o décimo dia após a aplicação.

Os principais sintomas são febre, dor no corpo e mal estar. As reações graves são raras e costumam acometer pessoas do grupo de risco para a vacina, como aqueles acima de 60 anos.
A partir do dia 26 janeiro os postos irão fornecer a vacina fracionada, que tem proteção semelhante, mas com duração de 8 anos. Ela é feita com 0,1 ml ao invés da dose convencional de 0,5 ml.

Considerando a capacidade de produção local da vacina que é de 6 milhões de doses ao mês, esse fracionamento torna-se necessário para que um maior número de pessoas seja vacinado. No caso de pessoas que irão se deslocar ou habitam áreas em surto a dose plena será aplicada.

A vacina com volume total confere proteção vitalícia, não necessitando de reforço, como era a orientação anterior.

Ou seja, quem já foi vacinado uma vez para febre amarela recebeu a dose plena e está imunizado!

Quem não deve tomar a vacina?

As contra indicações da vacina são:

  • Idade menor de 6 meses;
  • Alérgicos a componentes da vacina (ovo e derivados);
  • Pacientes que receberam transplante de órgãos;
  • Pacientes com doenças do timo: timoma, miastenia gravis, ou remoção cirúrgica do timo;
  • Pacientes com Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Imunossupressão grave:
    • Pacientes em tratamento de câncer atual com quimioterapia ou radioterapia;
    • Pessoas portadoras do vírus HIV ( CD4 < 200 cel/mm³)
    • Pacientes em uso de corticoides ou imunomoduladores.

Quem deve conversar com o médico antes de tomar a vacina?

  • Gestantes;
  • Idade entre 6 e 8 meses;
  • Pessoas com mais de 60 anos;
  • Portadores do HIV: depende da contagem de linfócitos CD4;
  • Mulheres amamentando bebês menores de 6 meses;
  • Doenças agudas febris moderadas ou graves: deve-se adiar a vacinação até resolução do quadro;
  • Pessoas com doenças hematológicas;
  • Pessoas com doenças neurológicas: esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla e outras;
A maior parte destas restrições é relativa e deve-se ao fato destes pacientes poderem desenvolver complicações decorrentes da vacina. Mas se você mora ou vai viajar para uma área onde existe um surto de febre amarela (como a zona norte da cidade de São Paulo), a maioria destas restrições  NÃO SE APLICAM , pois o risco de contrair a doença é maior do que o risco de ter complicações da vacina!!

Mas na dúvida lembre-se: procure sempre o seu médico!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *