Instagram Medprimus Facebook Medprimus YouTube Medprimus Telefone: (11) 3262.5564

Obesidade e Câncer: qual a relação entre eles?

Uma série de estudos estão relacionando obesidade e sobrepeso a um risco aumentado de aparecimento de câncer.

Porque isso acontece?

O motivo principal decorre do fato de que pessoas acima do peso usualmente apresentam condições que propiciam uma inflamação crônica. E é essa inflamação que pode causar mutações no DNA que levam ao câncer.

Como exemplo podemos citar o refluxo gastroesofágico, aquela tradicional queimação associada a azia, que causa uma inflamação crônica no esôfago e é considerado como fator de risco para câncer de esôfago.

Outro exemplo são as pedras na vesícula. A presença de pedras na vesícula provoca  uma inflamação crônica , o que é considerada fator de risco para câncer de vesícula biliar.

E existem outras doenças, como colite ulcerativa e hepatites, que também são fatores de risco para aparecimento de tumores malignos. E todas estas condições são mais frequentes em pessoas acima do peso!

Além disso …

O excesso de tecido gorduroso está relacionado a diversas alterações hormonais.  Pessoas com sobrepeso ou obesidade tem produção aumentada de  estrógeno.  E níveis elevados deste hormônio estão relacionados ao surgimento do câncer de mama, endométrio, ovários e outros.

O excesso de tecido adiposo também altera outros hormônios como a leptina, além de interferir na regulação do crescimento celular, na resposta imunológica e na resposta ao estresse oxidativo do organismo

Obesos também tem excesso de insulina e de hormônios relacionados ao crescimento. Essa condição é conhecida como hiperinsulinemia ou resistência ao insulina, e pode promover câncer de intestino, rim, próstata e endométrio.

Prevenção da obesidade

O estilo de vida envolvendo atividade física, com sedentarismo e dieta tem sido amplamente estudados e associados ao surgimento do câncer.

O sedentarismo está relacionado ao surgimento de  mais de 10 tipos de câncer, com citado acima e agrava a obesidade.

Na alimentação, o hábito dietético mais consistentemente associado ao surgimento de tumores malignos é o consumo de álcool, tanto se consumido no início da vida  ou na idade adulta.

Outros estudos confirmam que a inclusão de alimentos integrais, ricos em fibras, frutas e legumes estão associados a redução do risco para câncer. Se estes alimentos forem consumidos na primeira infância ( antes do 8 anos de idade) a diminuição do risco para a doença é ainda maior.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *