Instagram Medprimus Facebook Medprimus YouTube Medprimus Telefone: (11) 3262.5564

Biópsia da tireoide: Meu médico pediu uma, e agora?

Já discutimos aqui no blog que nódulo é algo comum e que não deve causar grande preocupação. Vale lembrar também que boa parte das vezes será necessário a realização da biópsia de tireoide quando esses nódulos forem suspeitos.

Para ler mais sobre a necessidade da biopsia confira aqui : Descobri um nódulo na tireóide!! E agora devo fazer a biópsia???

O que é biopsia da tireoide?

A biópsia da tireoide é um exame tranquilo realizado em laboratório convencional. Não é necessário preparo prévio ao exame, sedação ou anestesia no local da biopsia.

Tipos de Biópsia

Essa biópsia é realizada com agulha fina e normalmente guiada com ultrassom. A diferença entre biopsia de agulha fina e grossa é o tipo e quantidade de material para análise. A biópsia com agulha grossa (como a biopsia da mama) retira mais material e permite uma análise de todo o tecido. Já a biópsia com agulha fina (como no caso da tireoide) não retira tanto material e permite apenas a análise do tipo de célula que está presente.

Normalmente não se utiliza agulha grossa para a biópsia da tireoide. Isso porque o principal fator de análise é o tipo da célula, que se obtém através da agulha fina. O tecido retirado com a agulha grossa acrescenta pouca informação para o diagnóstico.

Tipos de resultado de biópsia

Após a biópsia obtemos diferentes tipos de resultados. O resultado é dividido em “classes” que determinam a probabilidade do nódulo ser ou não um câncer.

É importante lembrar que a biópsia da tireoide NUNCA será isenta de erros. Por isso o médico analisa a biópsia em conjunto com outros exames para escolher o melhor tratamento.

  • CLASSE I – é um resultado insatisfatório para a análise e não permite diagnostico correto. Muitas vezes isso ocorre por sangramento durante a biopsia ou quando o nódulo é muito calcificado (duro). Nesses casos a biópsia gera poucas células e a precisa ser repetida.
  • CLASSE II – Nesse caso a chance do nódulo ser benigno é maior a 95%!. O resultado é muitas vezes de “nódulo folicular benigno” ou algo parecido. Ainda pode existir a necessidade de realizar cirurgia (para ler sobre isso confira nosso outro texto: Nódulos de Tireóide: benigno tem que operar??)
  • CLASSE III – é um resultado que sugere nódulos benignos em cerca de 80 a 85% dos casos. Aqui poucas células tem alterações. Apesar destas alterações serem mais relacionadas a doença benigna, pode ocorrer algum tumor.
Classes suspeitas!
  • CLASSE IV – a partir dessa classe é necessário alguma análise a mais. Normalmente está escrito que a biópsia é “suspeita para neoplasia folicular”. Aqui o padrão das células é preservado, porém há um número exagerado delas. Nessa classe cerca de 60% de nódulos são benignos.
  • CLASSE V – ou o suspeito para cancer. Esse resultado ocorre por que há do excesso de células na biopsia e elas estão alteradas em sua aparência. Nessa categoria menos de 30% dos nódulos são benignos.
  • CLASSE VI – é o resultado muito sugestivo de ser maligno. Nesse caso, as células tem muitas alterações da forma e estrutura que estão presentes no câncer de tireoide.

Tratamento

O tratamento para cada resultado varia. O CLASSE II pode ser apenas acompanhado sem a obrigatoriedade de cirurgia.

Os resultados CLASSE III e VI necessitam de mais investigação. Nessa condição deve-se fazer uma nova biópsia, que pode ser por agulha fina (nos CLASSE III), análise genética ou através de biópsia durante a cirurgia.

Os resultados CLASSE V e VI são candidatos a cirurgia para confirmar o diagnostico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *