Instagram Medprimus Facebook Medprimus YouTube Medprimus Telefone: (11) 3262.5564

Tireoide: o que acontece quando ela funciona demais?

Hipertireoidismo é o termo técnico para o funcionamento em excesso da glândula tireoide.  Quando isso ocorre a glândula produz muito hormônio e, é esse hormônio que causa os sintomas clínicos.

Causas de hipertireoidismo

As causas do hipertireoidismo são variados. O problema pode estar na própria glândula tireoide ou fora dela.

A causa mais comum é uma doença auto-imune.  As doenças auto-imunes são aquelas causadas por uma alteração do sistema imunológico, que passa a atacar os órgãos. No caso da tireoide é a doença de Basedow-Graves. 

Na doença de Graves é produzido um anticorpo contra uma parte da célula da tireoide chamado de TRAB. Ele ativa a produção de hormônio da tireoide que passa a funcionar sem parar e aumenta de tamanho. Esse anticorpo também ataca a gordura do olho (o olho parece esbugalhado) e a pele, especialmente a pele da perna, que fica inchada.  

Outra causa de hipertireoidismo são os nódulos na tireoide.  Apesar da maioria dos nódulos não produzir hormônio, alguns podem produzir.  Isso ocorre mais frequentemente quando a tireoide é aumentada por conta da existência de vários nódulos.  Mais raramente, um único nódulo pode ser a causa do problema. Pra ler mais sobre nódulos clique aqui!

Mas a causa do problema pode não estar na tireoide. Muitos remédios, especialmente fórmulas para emagrecimento, contém doses de hormônio de tireoide!!

Existe ainda os casos de pacientes usam a reposição de hormônio em uma dose muito alta.  Todas essas causas levam ao hipertireoidismo.   

Como saber se tenho hipertireoidismo?

O diagnóstico é feito pelos sintomas clínicos e através de exames laboratoriais. 

Os sintomas mais comuns são:

  1. Taquicardia: o coração bate mais rápido e ocorre uma sensação de batedeira no peito.   
  2. Intolerância ao calor: a pele fica quente, suada e úmida mesmo com temperaturas amenas. 
  3. Emagrecimento: a perda de peso é por conta do metabolismo acelerado, e ocorre de maneira desordenada e não é saudável. 
  4. Irritabilidade: ocorre variação do humor e temperamento explosivo. Isso é seguido de insonia ou dificuldade em dormir, o que aumenta a irritação. 
  5. Tremores: principalmente em mãos e extremidades que atrapalha quando há a necessidade de movimentos finos e precisos. 

Além desses sintomas, a glândula tireoide fica aumentada e pode ou não ter de nódulos.

Diante desses sintomas realizamos exames de sangue para confirmar o hipertireoidismo. Dosamos o TSH (que controla a função da tireoide) que estará muito baixo e os hormônios (T4 e T3) que estarão altos.  Além disso, é possível dosar o TRAB para confirmar a doença de Graves.

Tratamento do hipertireoidismo

O tratamento é feito com medicações que diminuem a produção de hormônio da glandula.  São três remédios:

  1. Tapazol: usado em doses diárias únicas;
  2. Propiltiouracil: geralmente necessário algumas doses ao longo do dia; 
  3. Betabloqueador: serve para diminuir a frequência cardíaca e controlar os tremores.

No caso da doença de Graves o tratamento pode ser apenas com medicação.  Por ser uma doença auto-imune, a própria doença destrói a tireoide.  Dessa forma, o melhor é esperar algum tempo ( dois ou mais anos) para a redução dos sintomas. Quando o controle com medicamentos não funciona, pode-se partir para o tratamento definitivo. Nesta opção o objetivo é resolver o hipertireoidismo de uma única vez. 

Existem duas possibilidades: a iodoterapia ou a cirurgia

A iodoterapia é a utilização do iodo radioativo.  O paciente recebe esse iodo, que se concentra na tireoide e destrói a glândula. É melhor quando a tireoide não é muito grande, não há urgência em engravidar e quando a não há nódulos.  Nestes casos cirurgia é melhor opção. 

Quando o hipertireoidismo é causado por nódulos, a medicação serve apenas para controle dos sintomas e para preparar para a cirurgia.  A cirurgia é sempre necessária pois os nódulos sempre produzirão mais hormônios. 

Procure seu médico para orientar sobre a melhor opção de tratamento.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *